Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

 09/05/2018 - Alimentação; Notícias; Saúde do Adulto

 A “EPIDEMIA” DE DEFICIÊNCIA DE VITAMINA D

Vitamina D: Muito se tem falado, na mídia especializada e na mídia comum, sobre os potenciais benefícios da suplementação de vitamina D. Mas a verdade é que esse ainda é um campo em discussão na Medicina, e existem poucas recomendações mais definitivas.

Os melhores estudos mostram relação dos níveis de vitamina D com o risco de fraturas. A relação com outras doenças é bem menos conhecida. A discussão começa pelos níveis sanguíneos considerados adequados: não há consenso sobre quais seriam os níveis ótimos, e provavelmente os alvos devem ser diferentes para diferentes populações, considerando seu maior ou menor risco de fratura. De forma geral, tem se recomendado considerar níveis adequados de vitamina D valores acima de 20 ng/ml.

Outra dúvida é quem deve ter seus níveis de vitamina D medidos – provavelmente somente pessoas de maior risco se beneficiem da medida e sua posterior suplementação, uma vez que a recomendação para pessoas saudáveis é de se ater a uma alimentação saudável e exposição segura ao sol. As pessoas consideradas de risco e que poderão ter indicação de ter seus níveis mensurados ou de suplementação de vitamina D são aquelas com distúrbios alimentares, obesas, acamadas, com problemas de absorção intestinal, idosos sob risco de queda, gestantes, lactentes, pessoas de pele escura ou que não se exponham ao sol, mulheres na perimenopausa, com diagnóstico de osteopenia ou distúrbios esqueléticos.

Quais são as fontes de vitamina D?
Poucos alimentos são naturalmente ricos em vitamina D, à exceção de peixes, gema de ovo e alguns derivados de leite. A maior fonte atual de vitamina D é de alimentos fortificados e a partir da conversão cutânea realizada pelo sol.

 
Fontes:
J Clin Endocrinol Metab. 2015 May;100(5):2046-54. doi: 10.1210/jc.2014-4367. Epub 2015 Feb 26.
Serum 25 hydroxyvitamin D, bone mineral density and fracture risk across the menopause.
Institute of Medicine. Report at a Glance, Report Brief: Dietary reference intakes for calcium and vitamin D, released 11/30/2010.
http://www.iom.edu/Reports/2010/Dietary-Reference-Intakes-for-Calcium-and-Vitamin-D/Report-Brief.aspx
Conteúdo validado pelo Viver Bem.

Comentários

Elsa - 25/07/2018 22:40
Tive falta de vitamina D e foi muito ruim. Fiquei sem forças ate p ficar de pé. Hj tenho 69 anos e o q mais cuido é o uso de medicação. Fiz exames na época no mês de dezembro e após tomar muito sol, por 3 meses a vit. D nao mudou nada.

Deixe o seu comentário

Próximas Atividades

Publicações Anteriores