Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

 08/10/2020 - Alimentação; Gerenciamento em Saúde

 Envelhecimento e Saúde: A prevenção da osteoporose começa na juventude

Imagem de queijos, leites, peixe, vegetal de folha verde escura, feijão brando e castanhas.

Quando falamos em osteoporose é bastante comum a associação com a terceira idade, já que a condição costuma aparecer por volta dos 50 anos de idade. Aliás, uma a cada três mulheres sofre de osteoporose, enquanto nos homens a proporção fica em um a cada cinco. 

Mas engana-se quem pensa que a enfermidade não se relaciona com os mais jovens. Para evitar futuros problemas é preciso focar na prevenção ainda na adolescência e idade adulta, período este em que estamos construindo massa óssea.

Entre os 20 e os 40 anos atinge-se o pico de massa óssea, dependendo de alguns fatores, como sexo, idade, raça e fatores genéticos, além de exposição a certos agentes ambientais, que podem influenciar na saúde óssea. A intensidade desse pico será determinante para a futura saúde óssea  do indivíduo.

Mesmo com essas informações, cerca de 70% das mulheres brasileiras acham que a prevenção deve iniciar somente na fase adulta, de acordo com pesquisa divulgada pela Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo. Com base nessa crença, as precauções com a saúde dos ossos acabam sendo tomadas tardiamente. 


Como a doença se manifesta? 

Por ser uma doença silenciosa, a osteoporose demora para ser notada. Por isso, muitas pessoas esperam sinais de dor para buscar ajuda profissional, é comum que as pessoas descubram apenas quando a primeira fratura acontece. 


Como prevenir? 

O consumo de alimentos com cálcio e vitamina D ajudam na prevenção da osteoporose. A vitamina D auxilia na absorção do cálcio, que atua no fortalecimento e manutenção dos ossos. 

Mas apesar de uma dieta rica em cálcio e vitamina D auxiliar bastante na prevenção e tratamento, não é suficiente. O tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas e o sedentarismo são fatores de risco e enfraquecem os ossos. Para amenizar os sintomas, eles devem ser evitados. A atividade física, em especial, é fator de extrema importância na regulação do metabolismo ósseo.

Mas qual a quantidade correta de cálcio que devemos ingerir? 

O ideal é consumir de 800 a 1200mg de cálcio, de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde. O valor corresponde a quatro porções de leite (em cada copo de 250ml há aproximadamente 280mg do mineral). 


Existem outros alimentos ricos em cálcio além do leite? 

Claro que sim! O leite é riquíssimo em cálcio, e por isso é tido como a principal fonte do mineral. Além do leite podemos encontrar cálcio em iogurtes fortificados, no brócolis, feijão branco, couve-manteiga, sardinhas, castanha-do-pará, queijos e espinafre. Como pode haver diferença na biodisponibilidade do cálcio em fontes vegetais, pode ser necessária orientação profissional para garantir aporte adequado a pessoas que não consumam leite ou derivados.


Gostou das dicas? Então participe das oficinas online de Saúde do Adolescente no Programa Viver Bem. Clique aqui e confira a agenda completa.​


Deixe o seu comentário

Próximas Atividades

Publicações Anteriores