Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

 17/01/2020 - Alimentação

 Ler os rótulos é fundamental para garantir a saúde

Uma mulher em um supermercado lendo a embalagem de um produto. No canto esquerdo superior temos a hashtag #adoteessaprática.

Muitas vezes, a pressa faz com que na hora da compra de um alimento industrializado prestemos aten​​​ção apenas na validade. O que é um erro. Afinal, é através do rótulo que você consegue identificar o que vai comer. E aqueles produtos ultraprocessados – em especial os que já vêm prontos – possuem um grande número de ingredientes, geralmente com nomes pouco conhecidos. E é aí que precisamos ficar mais atentos, pois são aquelas letrinhas minúsculas que escondem, muitas vezes, ingredientes que podem ser maléficos à saúde, em especial para pessoas com alguma doença crônica. Diabetes, hipertensão e cardiopatias são alguns exemplos de doenças, cujos pacientes precisam estar sempre atentos aos rótulos. Mas existem aquelas pessoas que sofrem com alguma restrição alimentar, como a alergia à proteína do leite de vaca (APLV), ao ovo, a alguns tipos de frutas oleaginosas, grãos e cereais, ou casos de intolerância ao glúten e à lactose, que também precisam estar atentas ao que consomem.

Como entender nas entrelinhas se esses ingredientes estão no rótulo e qual a sua proporção, já que muitos aparecem na embalagem com outros nomes?


De olho na ordem dos ingredientes

A lista de ingredientes nos rótulos segue uma ordem decrescente. Ou seja, em um pão de fôrma integral, a primeira substância dos ingredientes deve ser a farinha de trigo integral. Se for a farinha de trigo enriquecida com ferro e ácido fólico, como acontece na maioria das marcas, esse pão não pode ser considerado integral, pois, nesse caso, será a farinha branca o ingrediente que estará em maior quantidade no produto.

Nem sempre o que vem em destaque no rótulo da embalagem – como natural, caseiro, zero açúcar, livre de gorduras trans – significa realmente que o produto seja saudável. Pode se tr​atar simplesmente de uma ferramenta de marketing e, sem saber, o consumidor acaba levando o alimento para casa. Logo, é preciso ficar de olho na quantidade de açúcar, gordura ou sal e se eles aparecem como os primeiros ingredientes da lista. Se sim, isso significa que o produto tem mais desse item do que os outros, já que a ordem é sempre decrescente. Na dúvida e por uma mudança para hábitos saudáveis, opte pelos alimentos in natura ou aqueles que são minimamente processados. Até porque, além dos ingredientes principais, a maioria dos produtos industrializados possuem conservantes, corantes, entre outros itens que, em excesso, causam malefícios à saúde.


O que é a tabela nutricional?

É a parte da embalagem que indica o quanto aquela porção do alimento contribui para atingir as recomendações nutricionais diárias. No caso dos nutrientes, como gordura saturada e sódio, quanto maior esse valor, pior a qualidade nutricional do produto. Da mesma forma, os alimentos com percentual maior %VD (valores diários) para fibra, indicam que o produto tem um valor nutricional melhor.


Aprendendo a “traduzir” o rótulo

De acordo com uma norma da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que regula a rotulagem dos alimentos no Brasil, as indústrias devem registrar a origem do produto, lote e prazo de validade, conteúdo líquido, tabela e atributos nutricionais complementares. Confira abaixo algumas informações que você precisa saber ao ler os rótulos:

%VD: significa a porcentagem do valor diário em relação a uma dieta de 2 mil calorias. Esses valores referem-se à porção do alimento, de acordo com a descrição que deve estar citada acima, como, por exemplo, 1 colher de sopa, 200 ml, 3 biscoitos, 2 fatias, etc.

Gorduras trans ou gordura : é um tipo de gordura industrial (gordura vegetal hidrogenada) que tem como objetivo melhorar a textura, deixar o alimento mais crocante, além de aumentar o tempo de duração nas prateleiras. Infelizmente não é obrigatório, pelas normas vigentes, declarar se um produto tem ou não gordura trans. Ela pode estar descrita apenas como "gordura vegetal", sem especificar se é hidrogenada ou não.  Lembre-se que o consumo de gordura trans não é recomendado, diante dos malefícios à saúde. Porém, a indústria pode usar a descrição ‘0% gordura trans’, quando o produto apresentar no máximo 0,2 g de gordura trans. Mas, se você consumir mais do que a porção indicada no rótulo, estará consumindo esse tipo de gordura.

Nem sempre o diet é sem açúcar, pois ele indica que algum ingrediente específico foi retirado da composição, que pode ser gordura, sódio ou outro item. Para saber se o produto realmente é sem açúcar, é importante procurar no rótulo a descrição ‘sem açúcar’ ou ‘zero açúcar’. É preciso ficar atento à variedade de nomes que o açúcar recebe nos rótulos: sacarose, glicose, dextrose, xarope de glicose de milho, açúcar invertido, açúcar demerara, açúcar mascavo, açúcar refinado. Caso seja encontrada a palavra edulcorante, isso quer dizer que o produto contém adoçante. O adoçante também tem vários nomes: edulcorante, aspartame, sucralose, acessulfame K e xilitol.

Atenção aos produtos light, pois, mesmo alguns alimentos sendo lights, podem conter altas taxas de açúcar, gordura e sal. Para entender melhor, participe das oficinas de alimentação saudável do Viver Bem e baixe o nosso aplicativo. Lá você encontra muita informação e ferramentas para auxiliar em escolhas mais saudáveis.


Deixe o seu comentário

Próximas Atividades

Publicações Anteriores