Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

 13/02/2020 - Gerenciamento em Saúde

 Só protetor solar não basta para evitar insolação nas crianças.

Na imagem temos duas crianças fazendo um castelo de areia na beira da praia. Os dois usam chapéus.

​É normal que a maior preocupação na hora de levar as crianças para a praia seja a quantidade de protetor solar que será passado nelas antes de se exporem ao sol. Mas, mesmo utilizando produtos com fatores de proteção alto, depois de um dia inteiro ao sol, a criança pode desenvolver sintomas como dor de cabeça, fadiga e desidratação.

Isso porque o que causa a insolação é o aumento de temperatura do corpo e não necessariamente da exposição ao sol. O uso de protetor solar protege a pele de queimaduras, câncer de pele e envelhecimento precoce, mas não impede o aparecimento da insolação.

Mas não é por isso que as crianças não vão poder se divertir no verão. Dê uma olhada nessas dicas para aproveitar o verão da melhor maneira.

​​

Identifique os sintomas:

  • Dor de cabeça (cefaleia);

  • Fraqueza (astenia);

  • Desidratação;

  • Respiração e batimentos cardíacos acelerados;

  • Febre alta (acima de 39ºC);

  • Náuseas e vômitos;

  • Nos casos mais graves, confusão mental e perda da consciência.

Caso a criança apresente sintomas de insolação leve:

  • Vista-a com roupas leves;

  • Deixe-a deitada em local bem ventilado, fresco e na sombra;

  • Hidrate-a com água, sucos de frutas naturais ou água de coco, de preferência frios ou gelados;

  • Borrife água na pele e faça compressas frias de água ou soro fisiológico para resfriar o corpo.

Em casos graves, se a temperatura for igual ou superior a 39ºC e não baixar, se a criança não conseguir ingerir líquidos ou apresentar vômitos intensos, confusão mental ou desmaio, procure atendimento hospitalar imediatamente.


Fuja dos efeitos nocivos do sol:

  • Evite a exposição solar entre 10 e 16 horas;

  • Procure deixar as crianças em ambientes ventilados e frescos, de preferência à sombra;

  • Ofereça água e sucos naturais mesmo que a criança não solicite;

  • Proteja as crianças do sol com chapéus e roupas leves e claras;

  • Procure evitar que as crianças realizem atividades físicas intensas em locais com sol excessivo ou calor intenso;

  • Repasse o protetor solar, de preferência com fator de proteção solar (FPS) de no mínimo 30, a cada duas horas ou sempre que a criança sair da água ou suar muito. O ideal é aplicar o produto pelo menos 15 minutos antes de se expor ao sol.

​​

Deixe o seu comentário

Próximas Atividades

Publicações Anteriores