Seu navegador não suporta JavaScript!
Logon

 10/06/2019 - Institucional

 Entenda a importância histórica das vacinas e os motivos para mantê-las em dia

 Fundamental no controle de epidemias de diversas doenças, as vacinas são historicamente a forma mais eficiente de manter a saúde comunitária.

O Dia Nacional da Imunização é celebrado anualmente dia 9 de junho e possui o objetivo de conscientizar sobre a importância vacinação. Atualmente as vacinas controlam doenças como a caxumba, o sarampo, o tétano e a gripe. No passado foram capazes de erradicar doenças que podiam ser fatais, como a varíola.

No século XVII, o médico Edward Jenner criou a primeira vacina capaz de erradicar a varíola em toda a Europa. Durante 20 anos de pesquisa, Jenner descobriu que trabalhadores rurais que se contaminaram por uma doença de gado semelhante aos sintomas da chamada cowpox tornavam-se imunes à varíola. Depois da observação, em 1746 Jenner passou a infectar pacientes com a cowpox propositalmente. Os infectados apresentavam sintomas leves e, depois de 10 dias, estavam curados e imunes ao vírus epidêmico.

O que são vacinas

A partir do trabalho do médico Jenner foi descoberto que, ao introduzir o agente causador da doença (atenuado ou inativo) no corpo, o sistema imunológico é capaz de produzir anticorpos e células de memória. Esses anticorpos garantem que, ao ser infectada pela doença em si, o paciente apresente uma reação rápida e eficaz contra o vírus, sem sequer apresentar os sintomas iniciais da infecção.

A médica coordenadora da Clínica de Vacinas da Unimed Porto Alegre, Fernanda Longhi, afirma que atualmente as vacinas são um dos modos mais eficazes de manter a saúde coletiva. “As vacinas auxiliam o sistema imunológico na formação de anticorpos contra vírus e bactérias. Dessa forma, os riscos de adquirir uma doença e ter complicações são muito menores, preservando a sua saúde e o seu bem-estar", afirma.

Vacinas no Brasil

As vacinas foram introduzidas no Brasil em 1904, quando o país sofria com diversas doenças - inclusive a varíola - causadas pela falta de saneamento básico e de tratamento de água. Nesse contexto, o médico sanitarista Oswaldo Cruz iniciou uma série de medidas para tentar resolver as epidemias, entre elas a Lei da Vacina Obrigatória. A obrigatoriedade não foi bem aceita pela população na época, em vista do pouco conhecimento sobre as imunizações, o que culminou na Revolta da Vacina.

Desde então o país avançou muito no assunto. Em 1961, passou a produzir vacinas contra a varíola e imunização oral contra a poliomielite. Nas décadas seguintes os brasileiros tiveram acesso a imunização contra o sarampo, a meningite, febre amarela, tétano, hepatite B, rubéola, gripe, entre várias outras doenças.

Manter a carteira de vacinação em dia é fundamental

A vacinação é uma das medidas mais importantes de prevenção contra doenças. “É muito melhor e mais fácil prevenir uma enfermidade do que tratá-la, e é isso que as vacinas fazem" relata Fernanda Longhi. Além disso, a médica aponta a importância da imunização para a saúde comunitária. “As vacinas não protegem apenas aqueles que recebem a imunização, mas também ajudam a comunidade como um todo. Quanto mais pessoas ficarem protegidas, menor é a chance de que qualquer uma delas – vacinada ou não – seja contaminada", afirma.

A Unimed Porto Alegre possui Clínicas de Vacinação em Porto Alegre e Canoas. Confira onde encontrar:

Porto Alegre

  • Unidade Shopping Total - Av. Cristóvão Colombo, 545 – conj. 3015 - Floresta.

De segunda-feira a sábado, das 9h às 20h.​​

  • Unidade Carlos Gomes - João Caetano, n° 207 (esquina Av. Carlos Gomes) - Três Figueiras.

De segunda a sexta-feira, das 13h às 19h e aos sábados das 8h às 13h.​

Canoas

  • Unidade Assistencial Canoas - Conj. Comercial de Canoas - Av. Getúlio Vargas, 5.600 – BR-116 - Centro.

De segunda-feira a sexta-feira das 9h às 13h e das 14h às 19h.